Esposa Puta no Cinema Porno

Gostei muito deste conto e compartilho com todos.

Olá amigos, já faz algum tempo que não postamos nenhuma nova aventura aqui no site, a correria do trabalho acaba tomando boa parte do nosso tempo.
Para quem nunca leu nossos relatos, meu nome é Alberto, tenho 44 anos e sou casado com Lúcia, 40 anos, pele clarinha, 1,63m, 54kgs, cabelos loiros médios, olhos mel, seios empinados e durinhos e uma bunda muito gostosa.
O que vou contar é uma aventura real com muita sacanagem que rolou neste mês com minha esposa Lúcia e um colega num cinema pornô no centro de SP e que foi muito excitante
Um colega da empresa onde trabalho estava muito a fim de levar a namorada num cinema pornô e conversando disse a ele que já havia levado minha esposa e que ela adorou.
Ele ficou todo entusiasmado e na hora liguei para a Lúcia que topou ir com outro casal uma sessão pornô e marcamos no sábado, 10/9/11. O encontro ficou acertado na porta do cinema às 22:00h.
Quando chegamos o meu colega já nos esperava, minha esposa estava de cabelos escovados, batom cor de boca, unhas com francesinha e usava um vestido preto curto e justo, sem sutiem e que destacava suas pernas e coxas e realçava seus seios durinhos e por baixo uma minúscula calcinha quase dental que dava a impressão que ela nada usava, sandália alta e preta completava seu delicioso visual.
Nesta noite ela estava particularmente um tesão, com um belo sorriso, descontraída e simpática, e apesar dos seus 40 anos chamou a atenção do meu amigo e dos demais homens de plantão no hall do cinema.
Notamos que ele estava sozinho e ai ele nos contou que sua namorada desistiu de vir na hora "h", e como estávamos todos excitados acabamos entrando os três.
Sendo sessão corrida, a sacanagem corria solta na telona do cinema, com um filme de gang bang, e também nas poltronas com caras batendo punheta ou comendo alguma puta, meu amigo ficou boquiaberto com que o via.
E mesmo antes de sentar-mos ele sem falar nada já foi puxando minha esposa para ele e lascando um longo e quente beijo na boca dela e ficaram de pé nos beijos e amassos com alguns caras assistindo.
Um cara e começou a passar a mão na bunda dela, fazendo carícias nas suas coxas, ela parecia que estava gostando mais meu amigo a puxou para o lado, pois parecia com mais ciúme dela do que eu.
Continuaram nos amassos, eu sentado numa poltrona e eles em pé na minha frente, eu passava a mão na bunda dela por baixo do vestido, levantando e mostrando parte da bunda dela e do fio dental.
Logo vieram dois rapazes bem jovens e ficaram parados ao lado contemplando e começaram a passar as mãos nela, dai falei para meu amigo deixa-los à vontade e mandar a Lu passar a mão neles também, ela prontamente atendeu ao pedido, pois estava muito excitada e quando ela passou a mão no pau dos rapazes por cima da calça eles ficavam loucos de tesão.
Meu amigo sentou-se na poltrona e a Lú sentou-se no colo dele, de frente para os rapazes, e meu amigo acariciando os seios dela por dentro do vestido.
Os rapazes estavam com seus cacetes para fora sendo punhetados pela minha querida esposa, os rapazes colocaram camisinha e minha esposa sentada no colo do meu amigo chupava com muito tesão as rolas dos dois desconhecidos, bem ao meu lado.
Percebi que minha gata estava muito excitada, fiquei de pé e a deixei chupando os rapazes, a cena era de um filme pornô, com a deliciosa diferença que minha esposa era a atriz principal.
Minha esposa ficou de pé e meu amigo enfiou a mão por baixo do vestido dela e foi baixando sua calcinha, depois a colocou apoiada na poltrona e mandou um dos rapazes penetra-la.
O garoto segurou-a pela cintura e já foi enfiando a rola na buceta dela arrancando vários gemidos de minha gata, pois o pau dele era bem grosso.
Meu amigo adorando a brincadeira baixou as alças do vestido dela oferecendo os seios da minha esposa para o outro mamar com muito tesão, a cena era alucinante, uma mistura de tesão, ciúme e excitação indescritível, meu amigo oferecendo minha esposa a dois estranhos e ela obedecendo.
Daí foi à vez do outro rapaz comer minha esposa, mais ousado a colocou no colo dele e a fez cavalgar no seu pau e depois a pegou por trás e comeu sua buceta enquanto pegava nos peitos dela.
A Lú gemia de prazer e pedia para ele fode-la mais, enquanto ela muito excitada que abraçava meu amigo com tesão, o beijava na boca e fazia carinhos em sua nuca, nesta hora confesso que fiquei com muito ciúme, mais é o preço que se paga por ser corno assumido.
Minha esposa sentou-se na poltrona, punhetou e chupou o pau dos dois rapazes até eles encherem suas camisinhas com muita porra.
Nesta altura havia vários homens em volta, assistindo e batendo punheta.
Então eu e meu amigo levamos minha esposa para o outro lado da sala que estava vazio e começamos a dar uns amassos nela, levantei seu vestido deixando aquela bunda lisinha, gostosa e sem calcinha exposta.
Meu amigo começou a passar a mão bunda dela também, e depois disputando comigo sua buceta toda meladinha, perguntei a ela se estava gostando e ela afirmou que sim, ela inclinada começou a me fazer um gostoso boquete, com seu rabo exposto e empinado para trás, eu já estava quase gozando quando meu amigo segura firme a cintura da minha esposa por trás e crava sua rola de vez na buceta dela, que aberta e molhada recebe todo o mastro dele apenas com um gemido sem tirar meu pau da sua boca.
Que tesão, não deu mais para segurar e enchi a boquinha da Lúcia com minha porra, ela engoliu todinha e depois me olhando com carinha de puta lambeu e deixou-o sequinho.
Sai para o lado e a deixei foder mais a vontade com meu amigo, que estava louquinho por ela desde que a viu chegar ao cinema.
Novamente fomos descobertos e alguns caras já estavam em volta assistindo e batendo punheta em homenagem a minha esposa.
Neste meio tempo minha esposa nua, somente de sandália, já tinha ordenhado sua quarta rola da noite, tirado e bebido toda a porra da rola do meu amigo, que era só sorriso.
Já estávamos no cinema há quase uma hora e ainda não tínhamos sentado para assistir o filme, que já havia terminado e recomeçado.
Antes que ela colocasse o vestido dois jovens que batiam punheta ao lado dela começaram a passar as mãos no seu corpo e um deles tocar com os dedos em sua buceta, que estava meladinha.
Ela me olhou e como nada a falei começou a chupar e punhetar um dos rapazes, chupava a rola como puta enquanto que com a bunda empinada para trás rebolava nos dedos do outro, fiquei muito excitado com a cena, depois ela alternava as chupadas entre os dois cacetes a sua disposição, pois se eu deixasse aqueles jovens iria arregaçá-la todinha, ainda mais sendo dois rapazes bem mais novos, do jeito que ela gosta.
Como minha esposa estava louca de tesão chupando com volúpia os dois jovens, resolvi deixa-la brincar com ele e fiquei ali vendo, junto com meu amigo a vendo chupar os rapazes, teve momentos que ela colocava as duas rolas na boca.
Ela virou-se de costas para os rapazes, apoiando-se na parede com a bunda empinada para eles, vendo que o estupro era inevitável neste momento ofereci camisinhas aos rapazes mais não foi necessário, pois eles mesmos tiraram as camisinhas dos bolsos e encaparam suas rolas um deles a penetrou de uma vez e começou a dar estocadas firmes na sua buceta, o que arrancava gemidos de minha gata, o outro se posicionou na frente dela e começou a acariciar e mamar nos seios dela, a cena era excitante um jovem, quase negro, com uma rola enorme estocando minha esposa com vontade e o outro mamando nos seios dela.
Ficaram assim por alguns minutos ai os rapazes trocaram de posição um deles colocou-se em pé ao lado de minha esposa deixando a sua disposição sua rola para ela chupar o jovem que a fodia gozou logo, pois ela rebolava muito em seu pau, o cara nem havia saído de dentro dela e o outro já se posicionou atrás dela e começou a fode-la, o rapaz negro era mais afoito, tinha mais pegada, seu pau mais grosso e seu ritmo era mais rápido, minha esposa gozou várias vezes na vara dele, ela estava adorando.
O rapaz começou a estocando-a por trás, depois a colocou sentada no seu colo e dava estocadas vigorosas em sua buceta, o rapaz negro era insaciável já havia fodido minha esposa várias posições mais ainda não tinha gozado continuava a meter seu cacetão dentro dela, com uma enorme platéia assistindo em volta deles.
Finalmente ele deu sinais que iria gozar e sai de dentro dela, e para minha surpresa minha esposa segura na jeba dele e como que extasiada por aquela enorme ferramenta negra em suas mãos, que poucas vezes experimentou, ela vai tirando a camisinha da rola enquanto a admira e acaricia, depois cai de boca nela mamando e punhetando-a, até ficar com rosto e os peitos melados com o leite branco e grosso que jorrava sobre ela daquele cacetão negro.
Depois ela foi ao toalete recompor-se e voltou vestida de cabelos penteados, bonita e sorridente, mais ainda sem calcinha que estava guardada no bolso do meu amigo.
Finalmente nos sentamos para ver o filme, ficamos sentados na penúltima fila com minha esposa entre nós.
O filme era sacanagem pura deixando-nos com mais tesão e começamos a beijar e dar amassos na Lúcia, depois de meia hora de filme seu vestido estava a seus pés e ela nuazinha na poltrona, ela punhetava nossos paus ao mesmo tempo quando duas mãos vindas da fila de trás acariciavam seus seios, olhei para trás com a intenção de mandá-lo parar com as carícias e qual não foi minha surpresa em ver que se tratava do rapaz negro que havia deixado-a louca de tesão hora antes, falei ao ouvido dela que sorriu entusiasmada, vendo seu interesse me ofereci para trocar de lugar com o rapaz e o convidei a sentar-se ao lado dela.
Ele prontamente aceitou e trocamos de lugar, mal se sentou já foi beijando e passando as mãos na minha esposa, Lúcia por sua vez pegou firme na ferramenta negra dele e começou a punheta-lo com força, o cacete dele estava enorme e mal cabia na mão dela que punhetava o rapaz e meu amigo ao mesmo tempo e revezava um gostoso boquete para os dois, enquanto eu por trás acariciava os seios dela, minha Lú parecia uma puta dessas que fazem ponto no centro da cidade.
Então ela me sussurrou que queria mito transar com o jovem negro novamente, mais que ali era complicado.
Fiquei louco de tesão em imaginar aquela enorme ferramenta negra dentro dela novamente e concordei em levantar-nos e procurar um lugar sossegado para ficarmos.
A Lúcia colocou o vestido e nos levantamos, passava da meia noite e o cinema estava mais vazio, fomos para o banheiro feminino e fechamos a porta, na luz pudemos ver que se tratava de um rapaz jovem, negro, bem apessoado e muito educado e que deveria ter uns 20 e poucos anos.
Ele puxou minha esposa para ele e a beijou na boca, foi tirando seu vestido e deixou-a nua, depois começou a acariciar e a mamar nos seus seios, enquanto tocava sua buceta com os dedos, ela muito excitada foi tirando as roupas dele ficando os dois pelados, ela pegou no cacetão dele e começou a mamar com muito tesão e quanto mais ela punhetava e chupava maior ele ficava, realmente era uma bela ferramenta negra.
Ela encapou a rola do rapaz, encostou-se na parede de frente para ele e começou a dedilhar sua buceta com os dedos e abrindo-a com os dedos ofereceu-se para ele que pegou ela de frente, meteu sua rola todinha dentro dela, até o saco dele colar no grelo dela fazendo-a gemer de tesão enquanto mamava nos peitos dela.
Meu amigo batendo uma punheta mal acreditava no que via e me perguntava como minha esposa agüentava tudo aquilo na buceta sem chorar.
Mudaram de posição e ele a pegou por trás e enquanto ele metia na buceta dela ela chupava o pau do meu amigo, depois trocou de pau e começou a mamar e punhetar o meu.
O rapaz a segurava forte pela cintura e fodia a buceta dela com muito tesão, deixando-a de recheio de sanduíche ora comigo ora com meu amigo, sempre com seu cacetão enterrado na buceta dela.
Mais na verdade eu não queria participar eu queria mesmo era assistir minha esposa foder com um rapaz negro bem dotado e afastei-me um pouco para curtir melhor
Eles tinham muitas opções de posições para trepar, e o rapaz fodeu minha esposa por um bom tempo de pé, com ela sentada na pia e em todas as posições possíveis dentro de um banheiro, fazendo-a gemer o tempo todo e ela acabou até tirando a sandália que era bem alta e ficando descalça para ficar mais confortável durante a trepada.
Meu amigo aproveitava os breves intervalos para também pegar minha esposa, mais o pau dele não conseguia mais preencher a buceta dela totalmente arregaçada pela ferramenta do rapaz.
Minha esposa ajoelhou-se na frente do rapaz, arrancou a camisinha do pau dele e começou a punhetar e mamar na rola negra.
Aproximei-me para apreciar a cena e ao ver aquela cabeçona negra brilhando não resisti e pedi que ele passeasse sua rola sem camisinha por todo o corpo da minha esposa, ela me olhou e sorriu, fechou os olhos e jogou o corpo para frente para que o rapaz passeasse sua rola pelo rosto, pelo pescoço dela, depois ela levantou-se e ele começou a passear sua rola pelos peitos e bicos duríssimos, pela barriga e pelas coxas dela, ele colocava sua rola entre as pernas dela e a esfregava em sua buceta, ela descalça e mais baixa que o rapaz ficava pendurada na rola dele passada entre as pernas dela.
Depois ela ficou de costas apoiada na pia com o corpo empinado para trás enquanto ele passeava sua rola pelas costas e pela bunda dela, dai colocou a rola novamente entre suas pernas, e ela foi abrindo mais as pernas para que o rapaz pincelasse seu grelo com a cabeça da rola dele, deixando-a louquinha de tesão.
A brincadeira chegou ao limite e o rapaz estava a um passo de empurrar sua ferramenta negra e sem camisinha para dentro da buceta da minha esposa, com meu tesão a mil, passei para frente dela, comecei a beijá-la e acaricio-la, ao mesmo tempo em que eu ia forçando seu corpo para trás de encontro ao corpo do rapaz, minha esposa me beijava de olhos fechados e dava pequenos gemidos ao sentir sua buceta sendo aos poucos penetrada pela rola e logo o rapaz já estava com sua ferramenta toda dentro da buceta da Lúcia.
Era um tesão de ver o contraste da virilha lisinha e totalmente depilada e a buceta rosada da minha esposa sendo penetrado por aquela enorme rola e sem camisinha ela parecia ainda mais negra.
Minha muito excitada pedindo que ele não gozasse dentro dela sem camisinha, mandou ele fode-la devagar, pois ela queria sentir as veias do pau dele, que eram grossas e salientes, pulsarem dentro dela.
Ele sentou-se no vaso sanitário e ela veio por cima cavalgando na rola dele, subindo descendo sobre ela, enquanto ele mamava nos seus seios, era um tesão ver aquela rola preta sem camisinha entrar e sair de dentro da buceta da minha esposa, com ela gemendo muito. Enquanto o rapaz a comia ela chupava a minha rola e do meu amigo, nesta altura estávamos todos pelados, e a Lúcia era o centro das atenções sendo sarrada por todos, eram seis mãos a percorrerem seu corpo por todas as partes, e três rolas preenchendo sua buceta.
O jovem negro voltou a meter na buceta da minha esposa novamente, mais logo ele saiu de dentro dela, colocou a rola em sua boquinha e descarregou uma grande quantidade de porra.
Nós também gozamos sobre ela e demos um banho completo de porra na minha esposa, nossa que tesão, o corpo da Lúcia todinho melado com a porra de três caralhos, até brilhava, ela encostou-se na pia, fechou os olhos e começou a acariciar seus seios, sua barriga sensualmente com as mãos, espalhando pelo seu corpo toda aquela porra, depois com as pernas entreabertas e me olhando com cara de puta, ela começou a acariciar sua buceta e a masturbar seu grelo com as pontas das unhas meladas de porra, daí eu a mandeiela enfiar os dedos na buceta e se masturbar e ela obedeceu, e mesmo com as unhas compridas ela enfiou três dedos em sua buceta e abrindo mais as pernas masturbou-se gemendo gostoso para nós, depois veio e esfregou-se como uma vadia nos três.
A cena é indescritível, não há como descrever a excitação que um corno assumido como eu sente vendo sua esposa numa sacanagem dessas.
Depois de nos recompormos, nos vestimos e saímos do cinema, já passava da 1:00h da manhã minha esposa com sua buceta fodida e o corpo melado de porra que exalava sexo.
Meu amigo dizendo que morava próximo ao centro, ofereceu para passarmos a noite na casa dele e como minha esposa estava precisando de um bom banho, cansada e louca para cair na cama aceitamos de bom grado.
Lógico que no dia seguinte esta gentileza do meu amigo custou caro para minha esposa, que acabou tendo que dar o cu para ele durante o café da manhã.




100% (11/0)
 
Categories: FetishGroup Sex
Posted by csd_abc
3 years ago    Views: 349
Comments (1)
Reply for:
Reply text
Please login or register to post comments.
2 years ago
Muy bueno tu relato, yo tambien pase buenos momentos cojiendo en un cine de Buenos Aires. Te felicito y te envidio tu esposa.