Ida à Discoteca

Há uns dias tínhamos estado nos amassos no carro dela mas ficámo-nos por aí, estavamos a tentar resistir mutuamente aos nossos corpos, aos nossos cheiros, aos nossos toques… Passado uma semana encontrámo-nos com uns amigos para beber um copo. Bar, shots,cocktails, boa conversa e a caminho da discoteca reparámos que os nossos amigos tinham desaparecido, sabiamos que eles se andavam a comer e não estranhámos quando olhámos para trás e não os vimos. Chegados à porta da discoteca deparámo-nos com a enorme fila do costume, a minha vontade de ir para ali não era muita, mas já não havia mais nada aberto. Ao fim de cinco minutos e um cigarro digo-lhe que não me estava a apetecer nada estar ali à espera e que nem sequer tinha grande vontade de entrar, ela responde que também não estava para ali virada e decidimos ir embora. Acompanho-a até ao carro e despeço-me com dois beijinhos, a sério que me estava a tentar controlar! Viro costas, meto-me no carro e arranco para ir para casa, passados dois minutos recebo um SMS dela a pedir para ir atrás dela, ainda pensei mas comecei a lembrar-me de como é bom apalpar aquelas mamas rijas e espetadas, de como o beijo dela me excita, de como gosto de lhe tocar, daquela boca… Ai aquela boca… Respondi-lhe que sim, que já a apanhava e apanhei-a. Entrei no carro dela, ela diz-me “Estávamos a portar-nos tão bem…”, ri-me e beijei-a, a partir daí perdemos a racionalidade. Comecei a pôr as minhas mãos por baixo da camisola dela, a apalpar-lhe as mamas e quando demos por nós já estavamos sem a roupa de cima e eu a beijar e lamber-lhe os mamilos. Ela começou a apalpar-me o caralho e abrir-me as calças, eu estava a começar a ficar com uma tesão daquelas… Continuámos a tocar-nos, a apalpar-nos e a beijar com a paixão que de vez em quando desperta entre nós. Baixei as calças ou ela é que mas baixou, nem sei, e ela começou a masturbar-me por cima das cuecas, continuou enquanto viu que me estava a passar de tanto tesão e que tentava tocar naquela rata que tanto gosto de sorver e lamber. A páginas tantas ela baixa-se para o meu lado e começa a mamar-me. Fui às nuvens com aquela boca… Tentei aguentar-me mas ela não descansou enquanto não me vim na boca e acho que ainda lhe chegou um bocado à cara. Demorei um pouco a me recompor, tinha-me vindo forte e feio com aquele broche fantástico. Ainda tentei retribuir-lhe o prazer mas ela ficou quase tão satisfeita quanto eu e já não quis mais nada. Depois disso não nos vimos mais, mas hoje está-me a apetecer ir beber um copo, tenho saudades do sabor dela.
87% (11/2)
 
Categories: Hardcore
Posted by Carlinhes
4 years ago    Views: 262
Comments (2)
Reply for:
Reply text
Please login or register to post comments.
2 years ago
Boa historia... bem contada !
4 years ago
Esta do carro, na discoteca, é rigorosamente igual a uma cena que tive há uns anos, à porta do FROLIC no estoril. Andava metido com uma gaja, e estávamos com uma tesão do caralho !!! a gaja fez-me um broche (o 1º) e engoliu tudo !!! Eu não sabia se a gaja queria ou não e tentei tirar quando me estava a vir, só que ela nada, não tirou a boca quando a avisei e continuou a beber à doida !!